Sinopse Voltar

Top Dogs-Antigo Teatro Aberto


Data de Estreia: 1999-10-26

Título Original: Top Dogs

Autor: Urs Widmer


Versão: João Lourenço | Vera San Payo de Lemos

Dramaturgia: Vera San Payo de Lemos

Encenação e Cenário: João Lourenço

Luz: João Lourenço | Melim Teixeira

 

Encenação: João Lourenço

 

Interpretação: Alexandra de Sousa | António Cordeiro | Francisco Pestana | Irene Cruz | José Boavida | Luís Esparteiro | Melim Teixeira | Teresa Sobral

 

Sinopse:
Top Dogs, com um espaço cénico que o(a) vai certamente surpreender.

A acção da peça Top Dogs desenrola-se nos meados dos anos 90, em que o desemprego já não afecta apenas os pouco qualificados e socialmente desfavorecidos, mas também os administradores e os quadros superiores das empresas, que sucumbem aos fenómenos da concorrência, racionalização e globalização.

Numa empresa especializada em procurar recolocações para este novo tipo de desempregados assiste-se às tensões provocadas pelos privilégios perdidos e às terapias individuais e de grupo, tendentes à reestruturação da personalidade e à preparação para novos desafios no mundo dos negócios.

Top Dogs é um espectáculo verdadeiramente inesperado que, com vitalidade e humor, apresenta uma crítica tão mordaz como subtil dos novos problemas da sociedade contemporânea.


CRÍTICAS

"Top Dogs é uma das melhores surpresas da rentrée" - 5/11/1999 - Público (Manuel João Gomes)

"Mais uma vez podemos contar com o Novo Grupo, para pôr em cena temáticas extremamente actuais"; "O espectáculo é de uma actualidade que nos magoa"; "Esteticamente o trabalho é depuradíssimo" - Novembro 1999 - Correio da Manhã (Ana Maria Ribeiro)

"Um espectáculo de grande rigor e contenção"; " A não perder" - 13/11/1999 - Expresso (Eugénia Vasques)

"Um trabalho correcto, eficaz, com trabalhos fortes por parte dos intérpretes, bem dirigidos por João Lourenço" - 1/12/1999 - Jornal de Letras (Carlos Porto)

"Um espectáculo de magnífico recorte estético" - 6/11/1999 - Expresso (Eugénia Vasques)

"Teatro petinente, interviniente, crítico (...). O elenco é de peso, a encenação é tão inovadora como rigorosa". - 12/11/1999 - Público (Manuel João Gomes)