Sinopse Voltar

Hannah e Martin-Sala Vermelha


Data de Estreia: 2009-12-17

Título Original Hannah and Martin

Autor   Kate Fodor

 

Versão   João Lourenço |  Vera San Payo de Lemos

Dramaturgia   Vera San Payo de Lemos

Cenário   António Casimiro |  João Lourenço

Figurinos  Maria Gonzaga

Desenho de Luz  Melim Teixeira

 

Encenação e Realização de Vídeo   João Lourenço

 

Interpretação: Ana Padrão | Cátia Ribeiro | Cristovão Campos | Diogo Mesquita | Francisco Pestana | Irene Cruz | João Ricardo | João Silvestre |  Luís Alberto | Maria Ana Bernauer |  Rui Mendes

 

Sinopse: Durante os julgamentos de Nuremberga, Hannah Arendt visita Martin Heidegger, seu antigo professor, mentor e amante. Este encontro entre o filósofo convertido ao nazismo e a filósofa judia, depois da guerra, leva-os a reviver o passado. Hannah e Martin é uma peça onde o universo mais íntimo se mistura com a política, a história e a ética, colocando questões pertinentes ao espectador de hoje.

Qual é o poder das ideias e que força encerram os ideais de quem tem poder? Qual é a origem da crueldade? E do amor? E da integridade? Será algum dia possível compreender a natureza humana e as suas motivações?

 

 

Hannah e Martin é uma peça onde o universo mais íntimo das personagens se mistura com a política, a história e a ética, colocando questões pertinentes ao espectador de hoje.

 

A encenação irá criar uma fusão entre a linguagem teatral e a comunicação audiovisual, confrontando o espectador com uma multiplicidade de ângulos e leituras de imagens, ora reais, ora recriadas.

 

CRÍTICAS

“... um guia de reflexão sobre o Bem e o Mal prenhe de romantismo."- - 20/01/2010– Time Out (Rui Monteiro)

"Diálogos rápidos, cinemáticos, convocam o espectador a participar no debate de ideias que permanentemente se desenrola à sua frente."- - 21/01/2010– JL (Helena Simões)

 
" A direcção de João Lourenço, aliás, é assertiva no seu propósito narrativo e elegante na sua construção, aproveitando o cenário exemplar de António Casimiro,..."- - 30/12/2009– Time Out (Rui Monteiro)