Sinopse Voltar

40 ANOS - Olhar e Voltar a Olhar-Sala Azul


Videos:  1 


Data de Estreia: 0000-00-00


TEATRO ABERTO | 40 ANOS


25 de Maio | 1976 - 2016



No dia 25 de Maio de 2016 assinalaram-se os 40 anos sobre a inauguração do Teatro Aberto, com a peça “O Círculo de Giz Caucasiano”, de Bertolt Brecht e os 34 anos da companhia Novo Grupo de Teatro, cujo espectáculo de estreia foi a peça “Oiçam como eu Respiro”, de Dario Fo e Franca Rame.

 
Em Novembro de 1966 quatro jovens actores – Irene Cruz, João Lourenço, Morais e Castro e Rui Mendes – juntaram-se com o sonho comum de fazer teatro. Juntos, formaram o Grupo 4 – Sociedade de Actores. O espectáculo de estreia foi a peçaKnack, de Ann Jellicoe, estreada em Abril de 1967 no cinema Tivoli. Em 1973, depois de sete anos sem sala própria, o Grupo 4 iniciou, a seu próprio risco, a construção do Teatro Aberto, à Praça de Espanha. O terreno foi cedido pela Câmara Municipal de Lisboa, presidida então pelo Eng.º Santos e Castro.
 

25 de Maio de 1976 o Grupo 4 estreou o palco do Teatro Aberto com a peça O Círculo de Giz Caucasiano, de Bertolt Brecht, com encenação de João Lourenço. Este espectáculo constituiu-se como um dos maiores êxitos de sempre do teatro português, mantendo-se em cena durante um ano.

 

Em 1982 formou-se a cooperativa Novo Grupo de Teatro que é, desde a sua fundação, a companhia residente e sedeada no Teatro Aberto tendo desenvolvido desde então uma actividade contínua, regular e intensa sob a direcção conjunta de João Lourenço, Irene Cruz, Francisco Pestana e Melim Teixeira. A 25 de Maio de 1982 o Novo Grupo de Teatro estreia a sua primeira peça, Oiçam como Eu Respiro, de Dario Fo/Franca Rame, com encenação de João Lourenço e interpretação de Irene Cruz. Este espectáculo, à semelhança do que já sucedera com O Circulo de Giz Caucasiano, teve uma longa carreira e manteve-se em cena 18 meses, sempre com salas cheias, tal foi o êxito alcançado junto do público.

 

Entre Maio de 1982 e Novembro de 2001, durante os cerca de 20 anos de permanência do Novo Grupo no palco do antigo Teatro Aberto, foi apresentado um repertório de teatro contemporâneo, nacional e estrangeiro em cinquenta e dois espectáculos.

 

Em 1984, a Câmara Municipal de Lisboa torna pública a sua vontade de retomar a posse do terreno onde se situava o antigo Teatro Aberto. Assim, é sugerido que o Novo Grupo continue a desenvolver a sua actividade noutro local, mas a direcção do Teatro Aberto não aceita e propõe a construção de um novo teatro para a cidade de Lisboa. O Teatro Aberto, construído pela direcção do Novo Grupo em estreito diálogo com a Câmara Municipal de Lisboa foi sempre pensado como um teatro municipal para a cidade. Durante 18 anos, os directores do Novo Grupo trabalharam na concepção, projecção e execução do projecto do novo Teatro Aberto.

 

A 24 de Fevereiro de 2002, inaugura-se o novo edifício do Teatro Aberto com a estreia de Peer Gynt, de Henrik Ibsen, com encenação de João Lourenço, partitura original do compositor português Eurico Carrapatoso e direcção musical de João Paulo Santos. A escolha desta peça para a inauguração do novo Teatro Aberto configura-se como o assumir da multidisciplinaridade artística da programação do novo espaço, que se pretende tornar mais abrangente, cruzando e apresentando teatro e música.


 
Ao longo de 34 anos de actividade o Novo Grupo apresentou textos de quase 90 autores. Os espectáculos produzidos pelo Novo Grupo têm ganho inúmeros prémios pelas suas encenações, cenários e pelas interpretações dos muitos actores que pisaram o palco do Teatro Aberto.


Fotografia: ©Daniel Viana  |   Vídeo: ©Nuno Neves